sábado, 19 de agosto de 2017

LISBOA: UM GRANDE TOIRO, PALHA E UM GRANDE TOUREIRO, ANTÓNIO RIBEIRO TELLES

Lisboa, 18 de Agosto 2017
Por: Catarina Bexiga

António Ribeiro Telles escreveu mais uma página no livro dos 125 anos da Monumental do Campo Pequeno. Uma noite especial, com lotação esgotada, com um público receptivo a tudo, disposto a aplaudir (o bom e o menos bom), mas que no “baú” guardou a grande noite do cavaleiro da Torrinha.

António confirmou, ontem, o momento que atravessa, pleno de maturidade, com uma intuição impar, com um vasto conhecimento dos terrenos e das distâncias que os toiros requerem, e uma enorme torería na forma como se exprime. Na primeira parte, a actuação veio em crescendo, montado no “Veneno”, alegrando o cite em terra-a-terra, e partido com decisão para cobrar o ferro. O quinto da noite – da ganadaria Palha – foi um grande toiro e com ele esteve um grande toureiro. A forma como aguentou as encastadas investida do toiro e como preparou as sortes, sobrando argumentos, foi um deleite para quem sabe o que é tourear a cavalo. Montado no “Alcochete”, cravou cinco curtos dos grandes! O público obrigou António a dar duas voltas à arena e o Director de Corrida esqueceu-se de mostrar o lenço azul. O de Palha merecia!

O resto da noite (transmitida pela TVI), resume-se a um João Moura discreto e um Luís Rouxinol animoso. Os toiros pertenciam a seis ganadarias: Vinhas, Ribeiro Telles, Oliveira Irmãos, Murteira Grave, Palha e Passanha.

Ambos os grupos estiveram à altura do compromisso. Pelos Amadores de Montemor-o-Novo pegaram Francisco Bissaia Barreto à segunda (grande pega), Duarte Mira à terceira e Francisco Borges à primeira. Pelos Amadores de Lisboa concretizaram Martim Lopes à primeira, Duarte Mira à terceira e João Varanda à primeira.

Foto: Facebook Campo Pequeno