segunda-feira, 31 de julho de 2017

SALVATERRA DE MAGOS: À ANTIGA PORTUGUESA COM LOTAÇÃO ESGOTADA!

Salvaterra de Magos, 28 de Julho 2017
Por: Catarina Bexiga

À Antiga Portuguesa foram as cortesias. À Antiga, a adesão dos aficionados. O toiro despertou um interesse acrescido à XV Tourada Real – com a presença dos Duques de Bragança - anunciada para Salvaterra de Magos. Os de Veiga Teixeira saíram rematados de carnes, sérios, o 5.º e 6.º superiores de apresentação. O primeiro investiu com raça e transmitiu emoção. Foi um grande toiro! Os restantes vieram a menos, aquém do esperado por todos.

Luís Rouxinol assinou duas actuações distintas, mas ambas com conteúdo. Com o seu primeiro, um “Veiga” exigente, o cavaleiro de Pegões aguentou, com enorme mérito, as primeiras investidas do toiro, e montado no “Equus do Zambujal”, cravou três compridos de forma superior. O toiro nunca admitiu equívocos, investiu sempre com raça, transmitiu sempre emoção, e fez com que dele todos estivéssemos pendentes. Com a “Viajante”, Rouxinol manteve a atitude e os dois primeiros curtos foram extraordinários. O segundo do seu lote foi manso, com querença nas tábuas, e montado no “Douro”, com disposição e ofício, Rouxinol resolveu os problemas.

João Moura Jr. e João Telles Jr. apenas “se fizeram à vida” nos dois últimos da noite. Na primeira parte, as suas prestações foram desprovidas de interesse, mas em Boa-Hora decidiram inverter o rumo dos acontecimentos. Moura Jr. pôs vibração no seu toureio no quinto, e montado no “Xeque-Mate” brilhou nos recortes por dentro, e cravou dois curtos que sobressaíram. Por outro lado, com o sexto, Telles Jr. apontou um grande comprido com o “Gaiato” e animoso com o “Equador da Pêra Manca”, encerrou com dois curtos impactantes.

Pelos Amadores de Alcochete pegaram João Machacaz e Pedro Viegas, duas boas intervenções, ambos à primeira tentativa; enquanto António Manuel Cardoso apenas concretizou à terceira. Pelo Amadores de Salvaterra de Magos pegou Carlos Travessa à terceira tentativa, o grupo deixou “ir vivo” o quarto, e Ramiro Sousa e Nilton Milho pegaram de cernelha o último da noite.